segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Johnny Thunders, "Live In Cold Blood" DVD.

Qual o show do artista mais chapado de drogas que já vi? Obviamente um do Johnny Thunders. O DVD "Live In Cold Blood" mostra um show de 1982 do ex-New York Dolls. Tem na íntegra no YouTube. A guitarra cai toda hora, os olhos ficam revirando, a boca mole e torta, eu diria que ele está prestes a ter uma overdose em cima do palco. Impressionante. Mas o mais louco é que ele consegue fazer um show fantástico, um rock'n'roll caótico, relaxado e de acordo com as raízes do estilo. A qualidade do DVD também é bem decente, filmado com duas câmeras e áudio estéreo da mesa de som.

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Café Canelinha está desde 1977 no centro de São Paulo.


























Temos alguns bons lugares para tomar um cafezinho no centro de São Paulo, um dos melhores certamente é o Café Canelinha, que em 2018 comemora 41 anos. A especialidade deles é um expresso bem cremoso com espuma de leite e canela por cima de tudo. Sou freguês há anos e da última vez que fui, resolvi tirar uma foto.

























O Café Canelinha fica bem perto da Locomotiva Discos. Se você descer na Estação República do metrô e ir em direção à loja, fica bem no meio do caminho. Recomendo então sempre dar uma paradinha para apreciar essa delícia de café cremoso! O estabelecimento é gerenciado por uma família portuguesa. Seja simpático e pague em moedas.








sexta-feira, 27 de julho de 2018

Eddie, "Carnaval No Inferno" LP (Assustado, 2008/2018)



















Acaba de ser relançado em vinil o quarto e melhor disco do Eddie, banda de Pernambuco na ativa desde 1989 e que já lançou 8 discos. "Carnaval No Inferno" saiu em 2008 e contém hits que até hoje explodem nos shows, como a "Bairro Novo/Casa Caiada", canção que na época também saiu na Inglaterra, presente na clássica compilação "Oi! A Nova Musica Brasileira!", um CD duplo lançado pelo selo inglês Mais Um Discos.

O Eddie toca uma música bastante particular, em parte por causa do vocalista Fabio Trummer, que tem uma voz grossa e um sotaque pernambucano bem forte, mas o que os torna tão únicos é o aspecto dançante que une o frevo, o samba e o maracatu com reggae e música eletrônica. No show ninguém fica parado, assim como na audição desse disco. Eddie é das melhores bandas brasileira em atividade e acabam de lançar um novo álbum, intitulado "Mundo Engano". Mas esse é um outro capítulo.






quinta-feira, 19 de julho de 2018

Cidade dos Ventos DVD (CPC-Umes, 2017).



















A CPC-Umes é uma distribuidora paulista de filmes russos em DVD. Já lançaram uns 30 filmes. Várias pérolas. O "Cidade dos Ventos" é um dos mais legais, lançado no final do ano passado. O filme é de 2007, porém conta uma história que se passa nos anos 70. É quase um filme indie. Basicamente uma história de amor com várias referências pop.




















O cenário é a Moscou de 1973 e a trama gira em torno de um jovem estudante de 18 anos, que numa tentativa de ser o mais descolado possível, se distancia da política comunista sem graça e vai atrás de discos de rock dos Rolling Stones e Deep Purple (proibidos na época), calças jeans, bebidas e o que mais for difícil conseguir, numa tentativa de ser o mais diferente possível.




















Temos na Locomotiva todo o catálogo em DVD da CPC-Umes Filmes. Vale dar uma sacada. Tem muito filme legal e todos são da Rússia, o que dá um charme todo especial. Não seja mais um limitado que só assiste aquilo que o Netflix disponibiliza. Abra seus horizontes. Vá além do básico. É muito recompensador.







Napalm Death, "Coded Smears And More Uncommon Slurs" CD duplo (Mutilation/Rock Brigade, 2018).



















O novo trabalho do Napalm Death é um CD duplo que compila as faixas que não foram lançadas nos álbuns da banda que saíram pelo selo Century Media durante o período de 2004 a 2016.

Temos 31 faixas, várias covers, no geral é a típica porrada que o Napalm Death faz tão bem. O CD duplo ainda tem um generoso encarte com 36 páginas cheio de informações e fotos horripilantes.

O CD saiu no Brasil numa parceria dos selos Rock Brigade e Mutilation. Já temos a venda na Locomotiva. Segue a lista das faixas e informações de onde elas saíram:

CD 1:
1. Standardization (02:46) ->faixa bônus do LP “Utilitarian” (2011)
2. Oh So Pseudo (02:36) ->faixa bônus do álbum “Apex Predator – Easy Meat” (2014)
3. It Failed To Explode (03:38)  ->faixa bônus japonesa do álbum “Utilitarian” (2011)
4. Losers (04:22)  ->faixa bônus do álbum “The Code Is Red... Long Live The Code” (2004)
5. Call That An Option? (03:03) ->faixa bônus do álbum “Smear Campaign” (2006)
6. Caste As Waste (03:06) ->faixa bônus japonesa do álbum “Apex Predator – Easy Meat” (2014)
7. We Hunt In Packs (03:49) ->faixa bônus do álbum “Time Waits For No Slave” (2008)
8. Oxygen Of Duplicity (03:30) ->do EP split com Melvins (2013)
9. Paracide (01:39) ->côver Gepopel, faixa bônus japonesa do álbum “Apex Predator – Easy Meat” (2014)
10. Critical Gluttonous Mass (02:26) ->faixa bônus do álbum “Apex Predator – Easy Meat” (2014)
11. Aim Without An Aim (03:05) ->faixa bônus do álbum “Utilitarian” (2011)
12. An Extract (Strip It Clean) (03:12) ->do EP split com Heaven Shall Burn (2014)
13. Phonetics For The Stupefied (03:29) ->do EP split com Voivod (2014)
14. Suppressed Hunger (03:09) ->faixa bônus do álbum “Time Waits For No Slave” (2008)
15. To Go Off And Things (02:29) ->côver Cardiacs, do EP split com Melvins (2013)

CD 2:
1. Clouds of Cancer / Victims Of Ignorance (02:06) ->côver G-ANX, faixa bônus do álbum “Apex Predator – Easy Meat” (2014)
2. What Is Past Is Prologue (02:57) ->faixa bônus do álbum “Apex Predator – Easy Meat” (2014)
3. Like Piss To A Sting (01:31) ->do EP split com Melt Banana (2014)
4. Where The Barren Is Fertile (02:22) ->do EP split com Melt Banana (2014)
5. Crash The Pose (01:33) ->côver Gauze, faixa bônus japonesa do álbum “The Code Is Red... Long Live The Code” (2004)
6. Earthwire (02:55) ->disponível apenas via download da DZI Foundation após terremoto no Nepal em 2015, gravada em 2014
7. Will By Mouth (01:25) ->do EP split com Converge (2012)
8. Everything In Mono (02:48) ->faixa bônus do álbum “Utilitarian” (2011)
9. Omnipresent Knife In Your Back (05:15) ->faixa bônus do álbum “Time Waits For No Slave” (2008)
10. Life Line (03:18) ->côver Sacrilege, da coletânea “Respect Your Roots Worldwide” (2011)
11. Youth Offender (02:07) ->B-Side do EP “Analysis Paralysis” (2011)
12. No Impediment To Triumph (Bhopal) (03:02) ->do EP split com Converge (2012)
13. Legacy Was Yesterday (02:15) ->do EP “Decibel Flexi Series” (2010)
14. Outconditioned (02:25) ->côver Despair, da coletânea “Covering 20 Years Of Extremes” (2008)
15. Atheist Runt (06:07) ->faixa bônus do álbum “Smear Campaign” (2006)
16. Weltschmerz (Extended Apocalyptic Version) (04:05) ->faixa bônus do álbum “Smear Campaign” (2006)

terça-feira, 17 de julho de 2018

The Vaccines, "Combat Sports" CD (Sony, 2018).






















Essa banda inglesa, que começou como um sub-Strokes, atinge nesse quarto álbum seu melhor momento, conseguindo assegurar personalidade ao atualizar o britpop para os dias atuais. Caso o semanário britânico NME ainda estivesse sendo impresso, os Vaccines já teriam sido capa pelo menos umas 4 vezes esse ano. O som deles é o que de melhor o atual rock inglês pode oferecer, com canções bastante melódicas, ótimas linhas de guitarras e refrães grandiosos e memoráveis, como as melhores bandas britpop um dia fizeram tão bem. Esse é desde já um dos meus discos prediletos de 2018 e segue em alta rotação desde que foi lançado uns meses atrás. O CD saiu no Brasil e já está disponível na Locomotiva Discos



domingo, 15 de julho de 2018

The Thunderbeats, "Primitive Sound" LP (Groovie, 2018).




















A etiqueta portuguesa Groovie Records é um dos melhores redutos mundiais do garage rock. Somente no último ano já lançaram 3 álbuns essenciais para quem gosta do estilo: Los Malinches, "En El Agua", The Brooms, "Here They Come!" e agora The Thunderbeats, "Primitive Sound", segundo álbum da banda russa que lembra Music Machine, The Troggs, The Seeds, ou seja, a fina flor do rock maldito dos anos 60.

O álbum foi gravado em fitas analógicas, usando instrumentos antigos e amplificadores valvulados. Fazem questão de escrever na contra-capa que nenhum equipamento digital foi usado durante a gravação. Um disco assim tem que ser ouvido em vinil (já temos a venda na Locomotiva), mas para dar uma sacada, segue o link do Bandcamp para streaming. Lembrando que a Locomotiva vende no Brasil todos os discos da Groovie Records.